quinta-feira, agosto 16, 2007

Mulher-gata

Sou leve, sou livre, valorizo a felicidade.
Vou pra rua, sinto a vida,
E a beleza pelos ares.
Mas se tenho uma mania
É gostar de um cafuné.
Faço manha, me enrosco,
Meio gata, meio mulher.

4 comentários:

Jazz disse...

Uau, poema fofo e lindo. valoriza a liberdade infinita da Nina, essa mulher gata persa meio senhorita de si mesma que eu admiro pra caralho.
beijo da jazz

May disse...

eeeee lala
nina, fiz num pulso rapidissimo, na onda da surpresa das suas... nao era vc quem nao gostava da poesia? rs que bom, que bom, só esqueci de te avisar, mas que bom que tudo chega ao destinatário! bjs pra vc hiperbólica e pra família toda querida!

Mr. Anderson disse...

Acho que vais gostar: http://literar.org/

Ana Pozza disse...

Amei!!!!!!!

Vou colocar no meu blog, ok??

Beijo queridona!!!